Buscar
  • Rodolfo Bontempo

Prefeitura de Miguel Pereira aposta em excelência do trabalho da Fusve para mudar atendimento no Hos

Prefeitura assumiu gestão administrativa, enquanto convênio vai pôr equipe de Vassouras no atendimento a pacientes.

O município de Miguel Pereira e a Fundação Educacional Severino Sombra (Fusve), mantenedora da USS e do Hospital Universitário Sul Fluminense, assinaram na sexta-feira, dia 7, um convênio para o planejamento e implantação de gestão operacional no antigo Hospital Santo Antônio da Estiva, que inclui também o ensino e capacitação de alunos dos cursos da área de saúde da Universidade Severino Sombra. A rápida cerimônia de assinatura do convênio aconteceu no gabinete do prefeito André Português (PR) e contou também com a presença do prefeito de Paty do Alferes Juninho Bernardes (PV), além do presidente da Fusve, engenheiro Marco Capute, e o vice-presidente da instituição, Gustavo Amaral. Para o prefeito André Português, o convênio marca um “momento histórico para a saúde da região”. “Com prioridade na gestão, a saúde foi foco desde nossa posse. O hospital, que agora é municipal, ganha com a assinatura do convênio com o Hospital Escola de Vassouras a possibilidade de atender à população da forma que se faz necessária. Teremos médicos à disposição, pediatras durante os sete dias da semana e obstetras de plantão. Traremos a experiência de uma gestão de sucesso para a nossa cidade para garantir atendimento com respeito e excelência à população”.

Hospital responsável pelo atendimento de miguelenses e patienses, o Hospital Santo Antônio da Estiva foi fundado há 61 anos e era administrado pela Fundação Miguel Pereira. Nos últimos anos, porém, o hospital vivia uma crônica crise financeira e administrativa. Com contas reprovadas, o hospital tinha dificuldades para acessar verbas públicas e a população sofria com o mau atendimento. Na campanha eleitoral, André Português usou como bandeira a atenção especial à saúde. Com o hospital correndo risco inclusive de fechar as portas, André, já prefeito, desapropriou a área física do hospital e assumiu, pela Prefeitura, a sua gestão. Pelo convênio assinado sexta-feira, a gestão hospitalar passa para a Fundação Educacional Severino Sombra, mantenedora do Hospital Universitário Sul Fluminense, em Vassouras. Com o hospital municipalizado, a Prefeitura passa a ter condições de buscar recursos para o atendimento, exames mais complexos e o abastecimento de todos os materiais médico-hospitalares. A gestão do hospital do ponto de vista médico ficará a cargo da Fusve, que ficará responsável, por exemplo, pelos médicos que farão o atendimento dos pacientes do Hospital Municipal de Miguel Pereira. Para o município de Miguel Pereira, o convênio garante atendimento de médico de qualidade à população. Para a Fusve, as atividades a serem desenvolvidas em Miguel Pereira vão aperfeiçoar e expandir as atividades de atenção à saúde, premissa importante para uma universidade que tem excelência em Medicina e em outros cursos da área de Saúde.

Após a assinatura do convênio, o presidente da Fusve, engenheiro Marco Capute visitou as instalações do Hospital Municipal, já na noite da sexta-feira. E gostou do que viu. “A estrutura é muito boa. Tenho certeza que o convênio trará frutos para os alunos da escola de medicina da nossa Universidade, ampliando o cenário de estudos para as atividades acadêmicas que já desenvolvemos em nosso hospital de ensino, além disso, aproxima nossos alunos da população carente, elevando a qualidade do ensino e a humanização da atenção à saúde. Teremos condições de realizar um bom trabalho aqui”, avaliou Marcos Capute. Para o superintendente do HUSF, Cláudio Medeiros, o convênio trará benefícios para os usuários do hospital e para e os alunos da Universidade, garantindo uma nova estrutura ao Hospital Municipal. “Com o corpo clínico integrado por mais especialistas, apoiado ainda por nossos alunos internos e residentes, aparelhos e equipamentos, além de muitas melhorias, o Hospital Municipal será capaz de atender a população com excelência. Toda urgência ou emergência que necessite de nossa estrutura, será imediatamente atendida. São mais de 52 mil vidas beneficiadas com este convênio”, avalia o médico, lembrando o número de moradores de Miguel Pereira e Paty do Alferes.

Ao se levar em conta a equipe que atuava no hospital na sexta-feira, a população pode ficar tranquila quanto à qualidade dos profissionais da Fusve que estarão engajados no projeto. Marco Capute, Gustavo Amaral, André Português e Juninho Bernardes estiveram com Terezinha Salvador, que encerrava o seu plantão. Ex-vice-prefeita de Vassouras por dois mandatos, Dra. Terezinha é uma das obstetras mais festejadas pelos vassourenses. Com anos de dedicação ao Hospital Eufrásia Teixeira Leite, hoje integra a equipe do Hospital Universitário, e já se adapta ao novo município. Sempre tímida, Terezinha deixou claro à reportagem que acredita no sucesso do convênio. Marco Capute, no entanto, tranquiliza as vassourenses: Terezinha Salvador segue atendendo também no Hospital Universitário. “Dra. Terezinha não é uma das médicas mais queridas de Vassouras à toa. Ela não vai sair do HUSF, continuará atendendo no nosso hospital, mas será também um símbolo da humanização que nós pretendemos desenvolver com este convênio em Miguel Pereira”.

Com o convênio, o hospital vai garantir serviço ambulatorial em sua policlínica, com serviços de Angiologia, Cardiologia, Dermatologia, Endocrinologia, Gastroenterologia, Geriatria, Ginecologia, Hematologia, Infectologia, Mastologia, Nefrologia, Neurologia, Neurocirurgia, Oftalmologia, Ortopedia, Otorrinolaringologia, Pediatria, Pneumologia, Psiquiatria, Reumatologia e Urologia. Isso com a garantia de um hospital de retaguarda, no caso o Hospital Universitário, para média e alta complexidade, como infartos, acidentes, gravidez de risco e outras situações mais graves que não possam ser solucionadas em Miguel Pereira. O hospital passa a contar também com uma nova equipe de emergência, com Liga de Urgência e Emergência, Clínica Médica e Pediatria, Unidade de Dor Torácica, Liga de Cirurgia, Obstetrícia e Anestesiologia. Segundo Marco Capute, médicos residentes de Vassouras serão utilizados em Miguel Pereira. “Temos uma fábrica de 160 médicos por ano em Vassouras. Podemos e vamos utilizar isso em benefício da saúde da região”.


André Português: ‘População pode esperar um atendimento mais humano e com mais estrutura”

Visivelmente feliz com a assinatura do convênio com a Fundação Educacional Severino Sombra, o prefeito André Português falou sobre o que a população pode esperar neste novo momento do Hospital Municipal. “A população pode esperar um atendimento mais humanizado e com melhor estrutura. Todo profissional do nosso hospital terá a ferramenta para poder atender a população com mais dignidade. Aumentamos a oferta de especialidades médicas para a população de Miguel Pereira e Paty do Alferes”.

Segundo o prefeito, o hospital passa a funcionar com classificação de risco, “priorizando o atendimento do paciente que necessita de um cuidado mais rápido”. Quanto às cirurgias, André Português esclarece que o hospital passa a contar com uma equipe de quatro cirurgiões. “Agora teremos uma equipe de quatro cirurgiões. Com isso, aumenta em dois dias por semana as cirurgias eletivas. Faremos também cirurgias por videolaparoscopia. Teremos suporte em cirurgia geral, ginecologia e obstetrícia e coloproctologia”.

Sobre o “Pacote de Cesariana”, André Português foi enfático. “Acabamos com essa cobrança que muita das vezes levou famílias a se endividarem para pagar por um parto digno e perto dos familiares. O momento do nascimento é algo de extrema importância para a gestante a família. Agora temos obstetra de plantão e toda cesariana ou parto normal será gratuito no Hospital Municipal. Com toda estrutura, atenção e cuidado para a população”.


Luiz Gonzaga -- O agora Hospital Municipal tem a idade do município de Miguel Pereira: foi fundado há 61 anos, após uma grande campanha de mobilização no antigo distrito de Vassouras. Campanha essa capitaneada, entre outras lideranças, por Luiz Gonzaga, o Rei do Baião, que não só morou em Miguel Pereira como se envolveu com as demandas de sua sociedade. Gonzaga fez shows, articulou doações e é visto como um dos principais responsáveis pelo surgimento do hospital. Para fazer justiça a um dos maiores nomes da música popular brasileira em todos os tempos, o prefeito André Português vai enviar à Câmara um projeto batizando o hospital miguelense de Hospital Municipal Luiz Gonzaga. “Será uma das homenagens mais justas que já vi”, diz o prefeito, que sonha com a presença de Daniel Gonzaga, neto de Lua –e filho de Gonzaguinha –, que mora em Miguel Pereira, na cerimônia de batismo do hospital.

801 visualizações

TRIBUNA DO INTERIOR EDITORA LTDA. Registro  Estadual nº 3320598969-9

Inscrição Municipal nº 6813 L 115 - CNPJ 02.528.144/0001-40

Registro na ADJORI – RJ 78 

Redação, Administração e Oficinas – Rua Profº Marcelo de Alcântara Pinto, 173,

Telefone: (24) 2471-7822

Parque J.K., Vassouras - RJ - CEP 27.700-000

Contador de acessos