Buscar
  • Rodolfo Bontempo

Sem escolas de samba, blocos dão conta do recado e garantem bom público no Carnaval vassourense

Cabeça de Porco mais uma vez arrasta o maior público; para prefeito, festa superou as expectativas e trouxe de volta a “folia de antigamente”

Sem suas escolas de samba pelo terceiro ano consecutivo, o Carnaval de Vassouras contou mais uma vez contou com seus blocos para alegrar vassourenses e turistas. Como já virou tradição nos últimos anos, destaque para o Cabeça de Porco, que em seu desfile da Residência até o Centro arrastou por volta de cinco mil foliões, incluindo centenas de crianças. Nas ruas, o clima no Carnaval 2018 foi de paz, sem nenhuma ocorrência mais séria de violência. Para a Prefeitura, Vassouras “sorriu de novo”. “Foliões aos montes, povo animado, blocos em harmonia total com suas baterias arrepiantes e seus conjuntos de metal fizeram o povo vassourense voltar no tempo e reviver os grandes carnavais de antigamente. As ruas tomadas pela alegria, exalada em sorrisos e risadas de todos os jeitos, muita música boa, descontração e fantasias engraçadíssimas, divertiram o povo!”, diz o material distribuído pela assessoria de imprensa da Prefeitura. O prefeito Severino Dias fez um balanço positivo dos seis dias de festa em Vassouras. “Não foi nada fácil, mas ao fim desse carnaval, acho que podemos dizer que superamos as expectativas. Sempre foi um compromisso de nosso governo trazer de volta a folia de antigamente e nós lutamos incessantemente por isso”, afirmou o prefeito à sua assessoria de imprensa. Por sua vez, o secretário de Cultura José Alencar Soares Gomes, o Zé Alencar, disse à TRIBUNA DO INTERIOR que já pensa na edição 2019 da festa mais popular do país, feliz com o que aconteceu esse ano. “Muito feliz com o resultado do trabalho nesse carnaval. Tudo correu certo, um carnaval onde todos se divertiram, sem nenhuma ocorrência séria, com as pessoas em geral elogiando. Quero agradecer ao prefeito Severino e a todos os funcionários envolvidos para realizar o carnaval e dizer que, se Deus quiser, ano que vem vamos nos organizar mais para que 2019 seja melhor que 2018”. O primeiro evento da programação oficial do Carnaval aconteceu na quinta-feira. O grupo Clareou foi a atração do Botequim do Samba, que este ano voltou à Broadway. Na sexta-feira, como manda a tradição recente, o Bloco Verde e Amarelo puxou a tradicional brincadeira do Bloco das Piranhas, extremamente popular em Vassouras e em tantos cantos do país. No palco do Espaço Cultural Wílson Guedes Pinto, a Caçarola Samba Show garantiu a animação dos foliões. No Espaço Wílson Guedes Pinto, além das bandas contratadas para os bailes noturnos, a Banda do Cidinho garantiu as tradicionais marchinhas. No sábado, o Calça Arriada, criado por sócios do Vassouras Country Club, foi o primeiro bloco a desfilar. Quem arrastou um grande público foi o Caçarola do Roliço, que a cada ano se firma como um dos grandes blocos de empolgação do carnaval de Vassouras. A banda Lummy se apresentou no baile popular. O domingo que já foi dos desfiles da escola de samba, há anos é o domingo do Porco. A festa começou com a apresentação da Banda do Cidinho no Espaço Cultural Wílson Guedes Pinto. No final da tarde, o Cabeça de Porco puxou o já costumeiro tsunami que atravessa a Residência até desembocar no Centro. Muita, muita criança brincou o carnaval com o “porquinho”. Novidade do ano, o Malucos do Samba, criado pelo comerciante Alvair Benazzi dos Reis, ex-Amigos da Onça e Paraíso do Colibri, foi para a rua com sambas de enredo clássicos, dando a esperança que o samba reapareça em um futuro próximo no carnaval vassourense. A banda Abalô foi quem comandou o baile popular da Broadway . O Maratomba deu o tom da segunda-feira de Carnaval. Arrastou os turistas do Cacique do Santa Amália com uma banda contratada do interior de Minas Gerais que sempre traz a boa e velha música de carnaval para a folia vassourense. No palco do Espaço Wílson Guedes Pinto, as bandas PMPO e Pimenta Brasileira dividiram o comando do baile popular. A festa terminou, claro, na Terça-Feira Gorda, com mais um desfile recheado de rubro-negros – e com espaço para tricolores, cruzmaltinos e botafoguenses – no Bloco da Nação Rubro-Negra. A primeira dama Carolina Dias foi à caráter, vestida em vermelho e preto. Vascaíno, o prefeito Severino Dias se arrependeu de não ter colocado a camisa do clube. “Há um clima de respeito entre as torcidas muito legal”, chegou a declarar. Antes, mais marcha com a Banda do Cidinho e a irreverência do bem fantasiado Já que você não vai, eu vou, criado há alguns anos para preencher a lacuna da ausência do Cabeça de Porco. O Porco voltou, mas a cidade ganhou, definitivamente, um novo bloco. No baile popular, o grupo Balacobaco animou a festa. Durante os dias de folia, o trio Cabesom puxou os blocos. No Espaço Wílson Guedes Pinto, os Djs Felipe Mendonça e Kim animaram os foliões.

72 visualizações

TRIBUNA DO INTERIOR EDITORA LTDA. Registro  Estadual nº 3320598969-9

Inscrição Municipal nº 6813 L 115 - CNPJ 02.528.144/0001-40

Registro na ADJORI – RJ 78 

Redação, Administração e Oficinas – Rua Profº Marcelo de Alcântara Pinto, 173,

Telefone: (24) 2471-7822

Parque J.K., Vassouras - RJ - CEP 27.700-000

Contador de acessos